MG: tucanos trocam afagos e reforçam críticas ao governo

Juliana Prado e Marcela Rocha, Portal Terra

BELO HORIZONTE - Com um auditório lotado, o PSDB reuniu em Belo Horizonte, na tarde desta segunda-feira (19), cerca de 700 lideranças políticas, sendo 300 prefeitos do DEM, PPS, PP, PTB e do próprio partido. Diante de um banner de 12x6 metros, com o bordão "Aécio aponta o caminho: Minas é Serra e Anastasia", a solenidade tucana seguiu o mesmo modelo usado para lançar a pré-candidatura de José Serra, no último dia 10 de abril.

Primeiro, discursaram os presidentes das legendas, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), seguido pelo deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Em seguida, falou Anastasia, Aécio e, por fim, Serra. A novidade foi o depoimento da presidente da Câmara Municipal de Minas, vereadora Luzia Ferreira, que representava as mulheres da coligação oposicionista.

O atual governador mineiro, Antonio Anastasia, teceu elogios ao antecessor Aécio Neves e não poupou críticas à gestão petista. "Em algumas áreas o governo federal poderia ter feito mais e não fez", disse. Anastasia também destacou a proximidade entre Minas e São Paulo, se referindo ao pré-candidato à presidência José Serra. "Há diferenças, mas são os Estados irmãos. Com Serra, poderemos muito mais".

Já Aécio Neves voltou a bater na tecla do que chama de meritocracia e condenou o apadrinhamento político, crítica frequente dos tucanos ao PT. No evento, o ex-governador mineiro entregou a Serra o chamado "Agenda Minas", um caderno com necessidades do Estado mineiro.

"Mais do que o apoio e solidariedade dos mineiros, você recebe também um conjunto de ideias que podem se tornar sua bússola", afirmou Aécio, que foi seguido pela fala de Serra.

Descontraído, o pré-candidato tucano à presidência voltou a elogiar Aécio e criticar a partidarização do governo petista, além de citar falta de investimento do governo federal para obras do metrô em Belo Horizonte e do aeroporto de Cofins.