PM bloqueia acesso de grevistas da UnB à sede provisória do governo

Ivan Richard, Agência Brasil

BRASILIA - A Polícia Militar bloqueou o acesso principal ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede provisória do governo federal, para conter uma manifestação de professores e servidores da Universidade de Brasília (UnB), em greve há 29 dias.

De acordo com o tenente-coronel Laércio Silva de Oliveira, que coordena a operação, a medida foi tomada para evitar conflito entre professores e militares, o que já ocorreu há duas semanas.

"Da última vez, ele tentaram invadir o prédio mesmo depois de uma comissão ter sido autorizada a entrar", argumentou Oliveira. "Não acreditamos que eles cumpram a ordem de ficar tranquilos", disse o oficial da PM.

Além do bloqueio, foram montadas outras duas barreiras para impedir o acesso dos grevistas ao CCBB. Uma delas é formada por cerca de 30 seguranças da Presidência da República e outra por homens armados do Exército.

Os professores e servidores da UnB reivindicam a suspensão do corte da gratificação da Unidade de Referência de Preços (UPR). Segundo a coordenação do movimento, essa gratificação é paga a servidores e professores da universidade para compensar perdas salariais decorrida de planos econômicos.

Ainda de acordo com os grevistas, o corte é de 26% e varia entre R$ 1,7 mil e R$ 2,7 mil. "Os bons pesquisadores e professores já estão deixando a UnB. Estou decepcionada com a política universitária do Brasil", disse a pesquisadora Pilar Hidalgo.

Segundo ela, com a suspensão do pagamento da URP, iniciado no ano passado, cerca de 280 professores já deixaram a universidade.

Edição: João Carlos Rodrigues