Empresas ainda não avaliam resultados de suas ações sociais, diz Ipea

Alana Gandra, Agência Brasil

RIO DE JANEIRO - Cerca de 800 mil empresas privadas realizam ações sociais no Brasil, mas uma parcela bastante reduzida desse universo se preocupa em avaliar o resultado das ações desenvolvidas.

Essa é uma das constatações do estudo Cultivando os Frutos Sociais: A Importância da Avaliação nas Ações das Empresas, que o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) lança amanhã (9) no 6º Congresso Gife sobre Investimento Social Privado, no Rio de Janeiro.

A pesquisadora do Ipea, Anna Maria Peliano, coordenadora do estudo, adiantou que a maior parte das empresas não avalia ainda os resultados dos investimentos.

O novo estudo do Ipea indica que apenas 16% do total de empresas atuantes na área social possuem avaliação documentada das ações desenvolvidas. O percentual é mais elevado na Região Sudeste, onde atinge 25%.

Anna Peliano afirmou que a análise das ações empreendidas no campo social, para verificar o alcance dos resultados projetados, é importante para as empresas poderem corrigir o que não deu certo. Para corrigir é isso que é o instrumento de gestão, para mudar os rumos e para aprimorar a atuação , disse.

A pesquisa analisou uma amostra de nove mil empresas brasileiras e estudou casos de 18 delas de forma mais detalhada. Anna Peliano observou, porém, que os resultados globais contemplam a totalidade de companhias que investem na área social no Brasil. Os recursos aplicados em atividades sociais em 2006, em valores corrigidos para 2009, alcançam R$ 6 bilhões, revelou a pesquisadora do Ipea.

De acordo com dados divulgados pela assessoria de imprensa do instituto, entre 2002 e 2006, o número de empresas que desenvolvem algum tipo de ação social no país subiu de 59% para 69%.

Edição: Aécio Amado