Dilma se emociona e diz que "incapazes não devem voltar"

Claudia Andrade, Portal Terra

BRASÍLIA - A pré-candidata petista à sucessão presidencial pelo PT, Dilma Rousseff, dedicou apenas uma pequena parte do final de seu discurso na noite desta quinta-feira, em um evento do PCdoB, às críticas à oposição. A ex-ministra-chefe da Casa Civil disse que "aqueles que são incapazes de fazer um projeto para o Brasil" não devem voltar e destacou o lema do apoio da legenda à sua candidatura: "PCdoB com Dilma para o Brasil avançar".

"Os companheiros e companheiras sabem que é preciso avançar, sabem que não vamos voltar ao passado, sabem que essa é uma missão", disse ela.

A maior parte de sua fala, contudo, foi dedicada ao histórico do PCdoB e à juventude, uma vez que integrantes da União da Juventude Socialista eram maioria na cerimônia desta quinta. Dilma Rousseff se emocionou ao falar sobre integrantes do PCdoB que lutaram na Guerrilha do Araguaia, como Maurício Grabois e João Amazonas, arrancando acalorados aplausos do público presente.

A pré-candidata destacou os 25 anos de legalidade do partido aliado, dizendo que a "luta sincera e obstinada contra a ditadura" é uma luta comum com o PT. "Estamos entre aqueles que só descansaram quando viram a democracia triunfar nesse País. Também nós somos aqueles que querem a democracia que garante os direitos sociais do povo brasileiro. Uma conquista que nós vamos garantir".

Juventude

Ao falar para os jovens, a ex-ministra destacou a importância deles para construir "o futuro do País". "Hoje é dia de fazer o que nós gostamos e sabemos fazer, que é construir o futuro. E o futuro se constrói com a juventude. Não vejo, portanto, melhor ambiente que esse para firmar meu compromisso com a juventude do País", disse.

"Há 50 milhões de jovens entre 15 e 20 anos no país. É mais de um quarto da população. Esses jovens conviveram muito tempo com a desesperança, falta de apoio, de oportunidades, de perspectivas", afirmou Dilma, passando em seguida a falar dos resultados do Programa Universidade para Todos (Prouni), que concede bolsas de estudo a estudantes de baixa renda e da construção de escolas técnicas profissionalizantes.

Crack

A ex-ministra falou também sobre o combate às drogas, chamando uma mobilização nacional contra o crack. "Essa droga que é sinônimo de uma dependência forte que leva ao desgarramento do convívio social e à degradação física. Não devemos, não podemos e não vamos permitir que a nossa juventude seja destruída".

"Quando o verbo é 'mobilizar' sabemos que é algo que o PCdoB sabe conjugar como ninguém no Brasil. É preciso promover uma mobilização nacional de mães, pais, jovens contra as drogas", disse.