Podval: se existisse pena de morte, casal Nardoni teria sido condenado

Portal Terra

SÃO PAULO - O advogado de defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, Roberto Podval, afirmou neste domingo, em entrevista ao Fantástico, que o casal teria sido condenado à morte pelo assassinato da menina Isabella - filha e enteada dos dois - se essa pena existisse no Brasil. - A pena foi justa se você levar em consideração o clamor popular, e essa pena só foi sentenciada porque não existe pena de morte. Se existisse, eles teriam sido condenados à morte - disse.

Ainda em entrevista ao programa, o promotor do caso, Francisco Cembranelli, disse não acreditar que a defesa consiga anular o julgamento que os condenou no sábado com base em uma lei antiga - mas em vigor na época do crime - que determinava um novo júri para penas maiores de 20 anos. Para Cembranelli, isso só acontece quando a sentença for "absurdamente contrária" às provas dos autos, o que, segundo ele, não aconteceu.