Manifestações marcam abertura da Conferência Nacional de Educação

Agência Brasil

BRASÍLIA - Em meio a manifestações, foi aberta neste domingo a Conferência Nacional de Educação (Conae), cuja principal missão é traçar diretrizes para o próximo Plano Nacional de Educação que vai vigorar de 2011 a 2020. Segundo o ministro da Educação, Fernando Haddad, os delegados que estarão na conferência até quinta-feira deverão definir as diretrizes do futuro plano e os parâmetros de investimentos.

- O próximo plano não pode se fixar em metas meramente quantitativas. Não adianta apenas entender. É preciso atender bem, é preciso ter qualidade - afirmou, ressaltando a importância de se pensar nos meios que possibilitarão o financiamento da educação.

Antes da abertura, as manifestações couberam a alunos, professores e funcionários da Universidade de Brasília UnB) e durante a cerimônia, aos servidores efetivos do Ministério da Educação (MEC). Enquanto Haddad falava com a plateia, foram mostradas no auditório faixas levadas por integrantes do Movimento de Valorização dos Trabalhadores em Educação (Movate MEC) reivindicando um plano de carreira para a categoria.

O ministro defendeu o piso nacional do magistério e reconheceu que além dele, é preciso aprovar um plano de carreira. - Acho justo quando dizem que é difícil atingir metas de qualidades sem ter os meios -comentou.

Haddad disse ainda em seu discurso que uma das grandes conquistas da área educacional nos últimos anos é a consciência dos gestores de que é preciso investir amplamente, sem focar apenas na educação infantil ou superior, como já ocorreu. - Um dos méritos é tomar a educação a partir de uma visão de conjunto. Se queremos levar a educação a sério, é da creche à pós-graduação - acrescentou.

O ministro destacou a entrada da educação no Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2), que será lançado hoje pelo governo.

Cerca de 3 mil pessoas, entre gestores, representantes de movimentos sociais, acadêmicos e profissionais da educação, devem participar da Conae, que terá a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na quarta-feira.