PAC 2 é fundamental para evitar descontinuidade nas obras

Vladimir Platonow , Agência Brasil

RIO DE JANEIRO - O ministro das Cidades, Marcio Fortes, defendeu a necessidade de realização da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), para evitar a descontinuidade nas obras que estão sendo realizadas em todo o país. O lançamento do PAC 2 ocorrerá segunda-feira (29), em Brasília.

Nós não podemos perder a continuidade da execução. No primeiro PAC, gastamos um ano e meio em discussões, projetos, licenças ambientais, questões fundiárias e licitações. O período inicial é muito longo. Mas num segundo momento temos que lançar com antecedência, com os objetivos e os valores que serão empenhados, para que se possa fazer a seleção dos projetos , disse.

Ele participou ontem (26) do encerramento do Fórum Urbano Mundial das Nações Unidas, que reuniu cerca de 15 mil pessoas na zona portuária da cidade. Marcio Fortes negou que houvesse atrasos na parte do programa sob a responsabilidade de seu ministério.

Aqui no Rio de Janeiro todas as obras estarão terminadas até o final deste ano. Apenas no Complexo do Alemão são cerca de US$ 390 milhões [R$ 700 milhões], envolvendo a melhoria habitacional, construção de habitações, saneamento e um teleférico. Em todo o estado, são cerca de R$ 1,8 bilhão , detalhou.

Marcio Fortes afirmou que não há pressa do governo em lançar o PAC 2, mesmo que o PAC 1 ainda esteja em execução.

Não há nada precipitado. Ao contrário, nós estamos precisando desse lançamento para fazer mais obras ainda, para se completar obras anteriores ou aumentar o seu escopo. A gente não pode parar, porque as pessoas estão sofrendo com a falta de habitação e saneamento. É o momento de chamar os prefeitos e governadores para entrarem nessa discussão com seus projetos e mais adiante começar as obras , disse.

O ministro no entanto não quis dar detalhes sobre o PAC 2, nem se os recursos seriam maiores do que o PAC 1. Isso o presidente Lula vai anunciar .