STJ diz que ex-secretário do DF pode ficar desnudo em revista

Portal Terra

BRASÍLIA - O ministro do supremo Tribunal de Justiça Fernando Gonçalves citou em seu despacho que o ex-secretário de Comunicação do Distrito Federal, preso no presídio da Papuda, Weligton Morais, poderia ficar desnudo nas revistas feitas pela polícia antes e depois de audiências com seus advogados.

De acordo com o STJ, o ministro consultou o delegado responsável pela revista sobre os procedimentos adotados nos encontros dos presos e obteve a resposta que o ato de desnudar o preso é um procedimento padrão.

Os advogados de Moraes entraram com um pedido para evitar que fossem revistados e que pudessem realizar encontros pessoais com o seu cliente e não por meio de telefone separados por um vidro. O pedido foi aceito pelo ministro com a ressalva de que o ex- secretário poderia ficar desnudo durante a revista.

O governador cassado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), e o ex-secretário de Comunicação, suspeitos de participar do esquema de recolhimento de propina de empresas para pagamento de suborno a deputados distritais da base aliada, o mensalão do DEM, serão ouvidos pela Polícia Federal na segunda-feira.

Os dois foram presos acusados de tentar subornar uma das testemunhas de inquérito que investiga as irregularidades no DF.