Transferência de prisão para Arruda não é prioridade do MP

Portal Terra

BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta terça-feira que não é prioridade do Ministério Público (MP) analisar a transferência do governador cassado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM).

Na última semana, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do DF decidiu pela perda de mandato de Arruda, por infidelidade partidária. O governador cassado decidiu não recorrer da decisão e enfrentar os processos como cidadão comum. Com isso, ele deverá perder a prerrogativa que o mantém preso em uma sala da Polícia Federal, em Brasília, desde o dia 11 de fevereiro.

- Essa questão de onde ficar preso não é prioridade do Ministério Público. Claro que se consumar a perda do mandato do governador, a prisão deverá ser adequada à condição após ser declarado vago o cargo - disse.

O procurador-geral voltou a defender a prisão de Arruda, dizendo que, mesmo deixando o cargo de governador, ele "continua em condições de influir negativamente" na produção de provas.