Temer: deputado do PMDB citado em mensalão tem apego à moral

Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), saiu nesta terça-feira em defesa do deputado Eunício Oliveira (PMDB-CE), citado em relatório da Polícia Federal como suspeito de ter uma de suas empresas vinculada ao escândalo do mensalão do DEM no Distrito Federal.

De acordo com Temer, o parlamentar tem apreço à "moral" e dará explicações convincentes sobre a inclusão de seu nome nas investigações sobre o esquema de pagamento de propina a deputados distritais da base aliada em troca de apoio ao então governador, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM).

- A citação claro que é desagradável, mas o Eunício é um empresário de muito sucesso, um empresário conhecido e reconhecido aqui em Brasília, além de ser deputado, naturalmente, de modo que ele terá as justificativas que apresentará. Não tenho dúvida disso e não tenho a mínima preocupação (com a citação do parlamentar) - disse o presidente da Câmara.

Na avaliação de Temer, a inclusão do deputado federal cearense nas investigações da Operação Caixa de Pandora também não afeta o PMDB, maior partido da base aliada e provável legenda a indicar o nome de vice-presidente na chapa da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República.

- Não estou nem minimamente preocupado. Nós temos milhares de membros do PMDB. Evidentemente que haverá explicações. Essas explicações serão dadas. Sei que ele é do maior (apego) moral, de modo que não tenho nenhuma preocupação com isso (desgaste junto ao PMDB) - afirmou.

Ex-ministro das Comunicações no governo Lula, Eunício Oliveira aparece no relatório da PF como suspeito de ter utilizado uma de suas empresas, a prestadora de serviços de limpeza Manchester, para se beneficiar do escândalo de desvio de recursos públicos e distribuição de propina no DF. Para a Polícia Federal, existem indícios de que um dos pagamentos à companhia foi "enxertado fora do padrão".