Lula pede que estrangeiros visitem favelas do Rio

Portal Terra

RIO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu aos representantes internacionais presentes no Fórum Urbano Mundial que circulem pelo Rio de Janeiro para verificar as melhorias na segurança da cidade.

- Peço aos estrangeiros que visitem as favelas para ver o que está acontecendo no Rio de Janeiro - disse.

Lula afirmou que, apesar de o Rio de Janeiro ter um povo "alegre e cordial", existem áreas em que o governo ainda não garante a segurança da população, especialmente dos turistas estrangeiros. - Não negamos que há violência no Rio de Janeiro, mas temos também aqui uma das populações mais alegres e cordiais do Brasil. Mas transitem como cidadãos comuns, não se embrenhem onde não conhecem - disse o presidente.

Em discurso de improviso, Lula disse que o seu governo está provando que é possível construir uma nova política urbana para os países em desenvolvimento. Segundo ele, o Brasil mostra que é viável se construir um novo país sem a necessidade de ficar criticando o que ocorreu em governos passados.

Apesar disso, o presidente fez uma crítica geral às administrações anteriores. - O administrador público do século 21 tem que projetar a cidade com mais qualidade de vida e corrigir os desmandos de governos do século 20, que fizeram com que muitas partes do país se tornassem uma favela - afirmou.

O presidente ainda elogiou a política social de seu governo. - Havia um tempo em que não era prudente fazer investimentos para resolver problemas das cidades grandes. Achavam que não era importante. O importante era fazer viaduto pra colocar o nome de alguém da família. O melhor para um governo não é investir em viaduto, e sim possibilitar que uma criança brinque descalça na rua sem ter que andar em cima de esgoto - disse. - A coisa mais barata e mais simples que um governo tem que fazer é cuidar da parte mais pobre da população - afirmou.

- Nunca se investiu tanto em políticas urbanas e saneamento básico, pode ir para a Baixada Fluminense, para o ABC paulista, para qualquer cidade do país - disse Lula.