Caso Isabella: agora vai ser feita Justiça, diz Serra

Rose Mary de Souza, Portal Terra

CAMPINAS - Ao inaugurar um hospital na cidade de Campinas, no interior de São Paulo, nesta segunda-feira, o governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, falou sobre o julgamento do caso Isabella. O tucano limitou-se a dizer que "vai ser feita Justiça".

"Agora vai ser feita Justiça neste caso", afirmou Serra, ao ser questionado por jornalistas sobre o início do júri popular do casal Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni. "É isso que eu espero e posso falar", disse o governador.

O julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados de matar a menina Isabella em 2008, começou às 14h17 desta segunda-feira com o sorteio dos jurados no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo. O início estava previsto para as 13h. Dezenas de pessoas, entre jornalistas, estudantes, curiosos e manifestantes pedindo justiça, acompanham o caso que comoveu a opinião pública nacional do lado de fora do tribunal.

O caso

O julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá começou em 22 de março e deve durar cinco dias. O júri popular ouve 23 testemunhas - 17 convocadas pela equipe de defesa do casal Nardoni, três compartilhadas entre os advogados e o Ministério Público e três da assistente de acusação.

Isabella tinha 5 anos quando foi encontrada ferida no jardim do prédio onde moravam o pai e a madrasta, na zona norte de São Paulo, em 29 de março de 2008. Segundo a polícia, ela foi agredida, asfixiada, jogada do sexto andar do edifício e morreu após socorro médico. O pai e a madrasta foram os únicos indiciados, mas sempre negaram as acusações e alegam que o crime foi cometido por uma terceira pessoa que invadiu o apartamento.