Caso Nardoni: defesa não vai adiar júri se testemunha faltar

Portal Terra

SÃO PAULO - A defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acusados de matar a menina Isabella Nardoni, 5 anos, afirmou que não vai pedir o adiamento do júri marcado para começar na segunda-feira, às 13h, caso o pedreiro Gabriel dos Santos Neto não compareça para depor. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) havia informado, na última sexta-feira, que a ausência da testemunha podia suspender o júri. A informação é do Fantástico.

O pedreiro chegou a dizer, durante as investigações, que alguém havia arrombado a entrada de um terreno que dava acesso ao prédio onde Isabella morreu, o que embasaria a tese da defesa de que havia uma terceira pessoa no apartamento. Depois, ele negou tudo. Isabella tinha 5 anos quando foi encontrada ferida no jardim do prédio onde moravam o pai e a madrasta, na zona norte de São Paulo, em 29 de março de 2008. Segundo a polícia, ela foi agredida, asfixiada e jogada do sexto andar do edifício.