Documento da Câmara do DF diz que intervenção é desnecessária

Agência Brasil

BRASÍLIA - A Procuradoria da Câmara Legislativa do Distrito Federal encaminhará nesta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal informações sobre o pedido de intervenção federal feito pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel. A Câmara vai defender a tese de que é desnecessária a intervenção no DF.

A procuradoria-geral da República alega que não há condições de governabilidade no DF depois das denúncias de corrupção envolvendo integrantes do governo. O caso resultou na prisão do governador licenciado, José Roberto Arruda, na renúncia do vice-governador, Paulo Octávio, e de um deputado distrital: Leonardo Prudente, que foi filmado guardando dinheiro nas meias.

Com base nas informações da PGR e da Câmara Legislativa, o ministro Gilmar Mendes vai elaborar parecer sobre a intervenção. Caso seja aprovada, será nomeado um interventor para governar o Distrito Federal.

O escândalo de corrupção no DF resultou em pedido de impeachment de Arruda. Na semana passada, os pedidos foram aprovados e agora, Arruda tem 20 dias para apresentar sua defesa. O caso estará em discussão ainda no Supremo Tribunal Federal, que deverá julgar o pedido de habeas corpus de Arruda na quinta-feira. Ele está preso há 18 dias na superintendência da Polícia Federal em Brasília acusado de ter chantageado uma testemunha no processo. Ele teria oferecido R$ 200 mil para que o jornalista Edson Santos, o Sombra, prestasse depoimento em seu favor.