Chile: Trabalho de Médicos Sem Fronteiras prioriza áreas mais remotas

Agência Notisa

BRASILIA - Trabalho de Médicos Sem Fronteiras prioriza áreas mais remotas e carentes no Chile

Assessoria de imprensa dos MSF no Brasil declara que equipes da Organização estão se dirigindo para as áreas costeiras e outras regiões atingidas pelo terremoto de sábado, como Maule.

AGÊNCIA NOTISA - De acordo com a assessora de imprensa dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) do Brasil, Juliana Braga, equipes da organização estão se dirigindo para o país com o intuito de realizar trabalhos nas regiões litorâneas, que estão entre as mais afetadas pelo terremoto do último sábado. Por enquanto, afirma a assessora, também estão sendo realizados levantamentos pela organização para avaliar aonde a ajuda é mais necessária . Em breve, explica ela, grupos de diversos países, incluindo o Brasil, poderão ser enviados, como ocorreu no Haiti, após os trabalhos iniciais . A organização prioriza atuação nas regiões mais remotas e carentes, que em geral não recebem qualquer tipo de assistência convencional e que de fato precisam de muita ajuda , diz.

Em release enviado pela nessa segunda feira, a assessora declara que integrantes dos MSF vindos da Argentina já chegaram em Santiago, capital do Chile, para verificar as necessidades das vítimas do terremoto de magnitude 8,8, que atingiu o país no sábado de madrugada e que, enquanto isso, outras equipes de MSF já estão sendo enviadas.

De acordo com Juliana, a entidade já está em contato com autoridades do Governo do Chile para coordenar os esforços de emergência. A primeira equipe vai viajar de Santiago para a região Maule, ao sul da capital, para fazer um levantamento da situação na área, que foi fortemente afetada pelo terremoto , escreve.

Ela explica no boletim que os MSF planejam focar seu trabalho nas regiões perto do epicentro, mas priorizando as vilas periféricas e áreas onde a ajuda leva mais tempo para chegar. De acordo com os primeiros relatos, as áreas litorâneas localizadas longe dos principais centros urbanos estão entre os locais mais afetados pelo terremoto e também são as mais difíceis de serem alcançadas .

Segundo o informe a primeira equipe de MSF, com alguns dos integrantes já no terreno e outros ainda viajando, é formada por médicos, logísticos e um enfermeiro vindos da Argentina, Bolívia, Panamá e México .