Secretário disparou 9 tiros contra assassino, diz delegado

Matheus Pessel, Portal Terra

PORTO ALEGRE - Antes de ser morto, o secretário de Saúde de Porto Alegre, Eliseu Santos (PTB), 63 anos, disparou nove tiros contra seu assassino. Segundo o diretor do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), delegado Ranolfo Vieira Júnior, a grande quantidade de sangue encontrada no local indica que ao menos um dos assassinos foi baleado. Santos foi morto a tiros nas proximidades do estacionamento do supermercado Zaffari, no bairro Floresta, depois de deixar um culto evangélico, na noite de sexta-feira.

De acordo com Ranolfo, um dos suspeitos de ter cometido o crime está internado com ferimentos de bala no hospital Cristo Redentor, na zona norte da capital. A polícia irá confrontar amostras do sangue encontrado no local com a do suspeito internado na capital e também com a de um outro homem, que deu entrada no hospital de Viamão com ferimentos de tiros. Segundo o diretor do Deic, a ação teria sido praticada por três suspeitos, sendo que dois atacaram o secretário na rua e um outro teria ficado dentro de um carro.

As investigações sobre a morte do secretário foram retomadas na manhã deste sábado. Durante o trabalho da perícia, a polícia encontrou mais projéteis de uma arma calibre 38 e manchas de sangue por quase toda a quadra da rua Hoffmann, onde aconteceu o assassinato.

Recentemente, Santos havia dado início a uma representação no Ministério Público Estadual, por ter recebido ameaças, após investigar o motivo de demissões na secretária municipal de Saúde. Em maio de 2009, o secretário registrou queixa na polícia das ameaças de morte que recebeu após o rompimento com a empresa que fazia a segurança dos postos de saúde em Porto Alegre.

Velório

O corpo de Eliseu Santos será velado às 14h deste sábado, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul depois de passar por necropsia no Instituto Médico Legal (IML). O sepultamento acontecerá no domingo, às 16h, no Cemitério Ecumênico João XXIII.

De acordo com a prefeitura de Porto Alegre, a decisão sobre os atos fúnebres de Santos foi adotada ainda na madrugada de sábado por seus familiares, tendo em vista que uma de suas filhas, que reside na Alemanha, possa regressar a Porto Alegre para assistir ao sepultamento do pai.

O prefeito de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), decretou luto oficial de três dias a partir deste sábado pelo falecimento do secretário.