Comerciante sobrevive a tiro por ter coração no lado direito

Portal Terra

DA REDAÇÃO - O comerciante Murilio Ferreira da Silva, 39 anos, sobreviveu a um tiro de revólver calibre 38 que perfurou o lado esquerdo do seu tórax, porque ao contrário da maioria das pessoas, ele possui o coração no lado direito do peito. "Não morri na hora porque tenho o coração do lado direito do peito", disse.

O incidente ocorreu no dia 10 de fevereiro, às 22h, durante um assalto. Silva e funcionários se preparavam para encerrar o expediente na sua padaria inaugurada há 5 meses no bairro Belo Horizonte, em Indaiatuba, região de Campinas, quando um assaltante surpreendeu sua mulher no caixa e roubou cerca de R$ 100. Na fuga, ao subir na garupa de uma motocicleta, que esperava na rua, deu um tiro a esmo e atingiu Silva na calçada.

O projétil acertou o comerciante um palmo abaixo do ombro do lado esquerdo, onde fica o coração. Ele foi levado à emergência do pronto socorro do Hospital Augusto de Oliveira Camargo, onde ficou internado, foi operado e teve alta após cinco dias.

Ele ainda está com curativos, sente dores, mal estar e não consegue trabalhar, mas diz que foi "um grande susto, um susto". "Foi tudo rápido. Eu fazia pão lá dentro e vieram me avisar que a padaria tinha sido assaltada. Sai para ver e vi o moço correndo em direção à moto. Ele atirou e eu senti um baque, um calor, uma dormência no peito. Acordei no hospital", disse Silva, que descobriu aos 22 anos que tinha o coração do lado invertido do peito.

As mulher, Sandra Dias Cardoso, 32 anos, disse que durante o assalto o ladrão "pegou o que encontrou e saiu correndo". Para ela, se o coração do seu marido ficasse do lado correto seria bem provável que agora ela estaria viúva.

No dia 18 de fevereiro, a Policia Militar apresentou Wellington Rodrigues Rouxinol, 24 anos, como autor do assalto e do disparo. A polícia decretou prisão preventiva e abriu inquérito. A arma não foi localizada e nem outro ocupante da moto.

Situs inversus

A localização do coração no lado direito do peito, o situs inversus ou dextrocardia é muito raro. Segundo o médico do Departamento de Cardiologia da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas (SMCC) Daniel Lages Dias a dextrocardia é uma má formação ainda na fase fetal.

- O coração se forma como um tubo e durante essa fase pode acontecer uma dobra errada - explica. Dependendo da situação pode necessitar de uma intervenção cirúrgica no bebê dentro da barriga mãe.

"Há situações em que um adulto desconhece que é portador de uma má formação congênita". A comprovação da dextrocardia é feita por raio X do tórax e exame de ecocardiograma.