Governo reforça combate à gripe H1N1

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O Ministério da Saúde anunciou quinta-feira que adultos saudáveis com idade entre 30 e 39 anos também vão receber a vacina contra a influenza A (H1N1) a chamada gripe suína. A campanha de imunização começa no dia 8 de março e inclui ainda profissionais de saúde da rede de atenção básica e envolvidos na resposta à pandemia, indígenas, gestantes, crianças de 6 meses a 2 anos, jovens de 20 a 29 anos e pessoas com doenças crônicas (como diabetes, obesidade, asma e cardiopatias).

De acordo com a pasta, a ampliação do público-alvo a ser imunizado antes do início do próximo inverno, em junho, representa um aumento de 30 milhões de doses da vacina, totalizando 113 milhões. Para a compra das novas doses, foram destinados R$ 300 milhões, liberados por medida provisória.

Em novembro, quando fizemos a compra da vacina, houve um aumento de oferta no mercado internacional. Sobrou vacina e pudemos ter acesso a um número de doses maior explicou o ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Vamos ter estoque estratégico, monitorando o que vai acontecer durante o processo para tomar outras medidas acrescentou.

A definição da nova faixa etária, segundo o ministério, considerou o grupo com maior número de hospitalizações e mortes, além dos que já haviam sido priorizados. A expectativa é imunizar 91 milhões de pessoas contra a doença. Parte das 113 milhões de doses será reservada para o caso de haver alterações epidemiológicas ao longo do inverno no país.

A rede de laboratórios autorizados para diagnosticar casos de influenza A (H1N1) gripe suína - foi ampliada de sete unidades para 14 unidades. Temporão anunciou ainda a ampliação de medicamentos disponíveis para o combate à doença. Segundo ele, 20 milhões de doses vão ser fornecidas por meio de receita médica com retenção. Cerca de 600 unidades que integram o programa Farmácia Popular no país vão fazer a distribuição. (Com agências)