Frente fria com ciclone extratropical avança para o Brasil

JB Online

RIO - Com a chegada de um frente fria vinda do sul do continente, todo o centro-sul do país está sujeito a temporais e ventos fortes até o fim da semana. A mudança já começou a ser sentida em Uruguaiana, na fronteira com a Argentina, que amanheceu com alguns raios e chuva moderada.

Este novo sistema está associado a um ciclone extratropical que a partir desta quarta-feira provoca ventos fortes na costa da Argentina, do Uruguai e do Sul do Brasil.

Com0o consequência, o mar vai ficar mais agitado no decorrer do dia e as ondas vão aumentar rapidamente. Até a sexta-feira, a navegação marítima na costa sul do Brasil será perigosa e os ventos fortes serão sentidos na costa sudeste a partir de quinta-feira.

Os Estados de São Paulo e de Mato Grosso do Sul estarão mais sujeitos a temporais na quarta e na quinta-feira, por conta da passagem desta frente fria. No Rio de Janeiro e no centro-sul de Minas Gerais, o risco de temporais também aumenta, especialmente na quinta e na sexta-feira.

Além da ocorrência de chuvas e ventos fortes, após a passagem desta frente fria está sendo esperada uma acentuada queda de temperatura nos Estados do Sul e nas áreas do Sudeste mais próximas à costa. Muitas áreas do Rio Grande do Sul e de parte do interior de Santa Catarina, poderão amanhecer a quinta-feira com temperaturas em torno dos 10°C, com possibilidade de frio ainda mais intenso nas regiões serranas.

O ar polar também vai baixar a temperatura no Paraná e em várias áreas de São Paulo, do Estado do Rio de Janeiro e do centro-sul de Minas Gerais. Em São Paulo, a queda da temperatura começará a ser sentida durante a quinta-feira, porém será mais intensa na sexta-feira, quando a Grande São Paulo poderá registrar temperatura mínima entre 16°C e 18°C.

As temperaturas amenas devem persistir durante o fim de semana e até meados da semana que vem, quando volta a esquentar rapidamente.

Sobre o Grupo Climatempo

O Grupo Climatempo é a maior empresa privada de meteorologia do país. Fornece, atualmente, conteúdo para mais de 50 retransmissoras nacionais de televisão, para rádios de todo o Brasil e para os principais portais. Com cerca de 1.100 clientes, a empresa atua principalmente em dois segmentos: o de agronegócios e o de meios de comunicação. Oferece também conteúdo meteorológico estratégico para empresas de moda e varejo, energia elétrica, construção civil, transporte e logística, além de bancos, seguradoras e indústrias farmacêutica e de alimentos. O Grupo é presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 23 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no País.

As informações são da assessoria de imprensa