Menino com agulhas no corpo tem alta do hospital na Bahia

Portal Terra

SALVADOR - O menino de 2 anos e 7 meses que teve 31 agulhas inseridas em seu corpo teve alta do hospital na manhã desta sexta-feira. Segundo a assessoria de imprensa do Hospital Ana Neri, em Salvador (BA), o menino está bem de saúde, mas terá de passar por acompanhamento psicológico, junto com a família.

Em entrevista coletiva, os médicos que cuidaram do menino afirmaram que estão muito otimistas com a recuperação da criança. O menino ainda possui quatro agulhas no corpo, localizadas na axila esquerda, na lateral esquerda do tórax, na lateral esquerda do abdômen e na coxa esquerda. De acordo com o corpo clínico, essas agulhas são apenas fragmentos e não estão em áreas de risco. O menino terá de passar por avaliações periódicas de saúde.

Na segunda-feira, o menino passaria pela quarta cirurgia. Entretanto, após reavaliar os exames de tomografias e raio x, os médicos decidiram que a retirada das agulhas poderia ser feita posteriormente, em procedimentos ambulatoriais.

Durante a entrevista coletiva, a cardiologista Nadja Kraychete, uma das cirurgiãs que operou o menino, afirmou que quando fez a primeira cirurgia na criança ficou com o coração "esmagado". Isto porque sabia que estava fazendo uma operação não para curar um problema cardíaco, mas sim um mal que foi causado propositalmente. - Doeu muito para todos os médicos, porque no começo a criança não reagia - disse.

Em 6 de janeiro, foi decretada a prisão preventiva do padrasto do menino, Roberto Carlos Magalhães Lopes, e sua suposta amante, Angelina Capistana dos Santos, apontados como os responsáveis pelas perfurações. A dupla será julgada por tentativa de homicídio qualificado e, se condenada, pode pegar até 20 anos de prisão.

De acordo com a denúncia, eles queriam vingar-se da mãe do menino porque ela estava discutindo com o padrasto por sentir ciúmes de Angelina, em virtude de desconfiar da existência de envolvimento amoroso entre os acusados. Segundo o Ministério Público da Bahia, o suspeito confessou o crime durante interrogatório realizado na Delegacia de Ibotirama, no interior do Estado.