Gilmar Mendes pede que MP opine sobre retorno de deputado da meia

Portal Terra

BRASÍLIA - O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, encaminhou nesta sexta-feira ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel, o pedido formulado pelo deputado distrital Leonardo Prudente para que ele possa retornar à presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal.

O parlamentar, que foi gravado colocando dinheiro - supostamente fruto de propina - nas meias, foi afastado da presidência da Casa até que sejam finalizadas todas as investigações sobre o escândalo do mensalão do DEM - suposto esquema de pagamentos de propina a parlamentares que envolveria o governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM) -em Brasília.

Após a manifestação do chefe do Ministério Público, Gilmar Mendes irá avaliar se garante ou não o retorno do deputado distrital à presidência da Câmara Legislativa. No cargo, ele seria o responsável por conduzir eventuais investigações sobre a Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, caso que indica o governador do Distrito Federal, empresários, deputados e o próprio Leonardo Prudente como suspeitos pelo esquema.

Ao contestar seu afastamento por decisão da 2ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal, o deputado distrital argumenta que sua retirada das funções de presidente da Câmara afronta o princípio da separação dos poderes e do voto popular e soberano.

- Não basta que a Câmara funcione, mas sim que ela funcione com os representantes que foram ungidos pelas urnas, sob pena de grave perturbação da legitimidade e da ordem democrática - disse a defesa do parlamentar junto ao STF.