Polícia Militar do DF confirma morte de 22º brasileiro no Haiti

Agência Brasil

BRASÍLIA - A Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) confirmou nesta quinta-feira o reconhecimento do corpo de mais uma vítima brasileira, morta em decorrência do terremoto no Haiti na semana passada. O tenente Cleiton Batista Neiva, 33 anos, estava na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) no momento da tragédia. Com a confirmação, sobe para 22 o número de brasileiros mortos no Haiti.

A PM informou que o reconhecimento, ainda extraoficial, foi feito por um amigo do tenente. A confirmação oficial deverá ser feita em breve pela ONU.

Batista havia pedido licença da PM para tratar de interesse particular e, em 2007, viajou ao Haiti para trabalhar voluntariamente como oficial de segurança da ONU. Ele já havia participado da Missão de Paz brasileira no país entre 2005 e 2006. Por causa do vínculo criado com o país caribenho, o policial decidiu retornar para ajudar o povo haitiano.

Além de Neiva e de 18 militares, morreram no Haiti a fundadora da Pastoral da Criança, Zilda Arns, o diplomata Luís Carlos da Costa, que ocupava o segundo maior cargo da ONU no Haiti, e uma brasileira com dupla nacionalidade, cuja identidade não foi divulgada.