OAB-RJ apoia fim do sigilo de doações para campanhas eleitorais

JB Online

RIO - A Secional da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB/RJ) apoia a proposta, a ser votada pelo plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de exigir que os candidatos às eleições de outubro informem a origem das doações para as campanhas - nomes de pessoas e empresas que contribuírem com recursos, bens e serviços.

- A ideia é oportuna. Atualmente, o pagamento das campanhas constitui uma verdadeira caixa preta - afirmou o presidente da OAB-RJ, Wadih Damous.

Para Wadih, no entanto, o financiamento público das campanhas será o melhor instrumento para coibir a corrupção e a confusão entre interesse público e privado.

- Esperamos que isso se dê no âmbito da reforma política, que até agora não ocorreu - acrescentou. De acordo com a proposta do TSE, o sigilo do doador será proibido. O Tribunal também pretende limitar os gastos de campanha, e deverá recomendar ao Congresso Nacional a aprovação, até junho, de lei para fixar o limite máximo de gastos dos candidatos para cada mandato disputado.