SP: padre sem CNH por dirigir bêbado se envolve em novo acidente

Portal Terra

SÃO PAULO - O padre Aparecido Donizete Bianchi, 52 anos, que teve a carteira de habilitação suspensa por dirigir embriagado, foi detido na noite de quinta-feira, após colidir com um automóvel em um cruzamento de São José do Rio Preto (SP). Esta é a terceira vez que o padre se envolve em uma ocorrência policial por infringir regras de trânsito.

O religioso avançou um sinal de "Pare" em uma avenida da cidade e foi atingido por um carro conduzido pelo aposentado Scake Mithiro, que trafegava pela preferencial.

Bianchi já foi condenado pela Justiça de São José do Rio Preto a dois anos e seis meses de prisão por dirigir embriagado, desacatar policiais e por corrupção ativa. A sentença foi confirmada pelo Tribunal de Justiça (TJ).

Em dezembro de 2006, o padre foi detido ao ser flagrado dirigindo sob efeito de álcool. Ele entrou na contramão ao chegar na Catedral São José de madrugada e foi parado por uma viatura. Segundo o registro, ele discutiu com policiais e ainda aproveitou o som alto do carro para dançar uma música do grupo É o Tchan para os PMs, que o levaram para o Plantão Policial.

Em agosto de 2009, o padre atropelou dois motociclistas e fugiu sem prestar socorro. De acordo com testemunhas, o padre estaria novamente bêbado. A polícia apreendeu seis latas de cerveja dentro do carro do religioso, que se recusou a fazer o teste do bafômetro.

O padre teria desrespeitado um sinal de "Pare" na avenida Potirendaba, uma das mais movimentadas da cidade, e batido contras as motocicletas dos auxiliares André Luiz de Jesus e Devair Ribeiro. Bianchi alegou à época que estava acompanhado por dois jovens e que não dirigia o carro no momento do acidente. Ele afirmou que os motociclistas atravessaram o sinal amarelo, apesar de o cruzamento em questão não possuir um semáforo.