RS: duas pessoas seguem desaparecidas no Rio Jacuí

JB Online

PORTO ALEGRE - Três dias depois da queda da ponte da RSC-287, no limite entre Agudo e Restinga Seca, no Rio Grande do Sul, a esperança deu lugar à tristeza no local da tragédia. Três das cinco pessoas levadas pela correnteza do Rio Jacuí foram localizadas ontem, entre elas o vice-prefeito de Agudo, Hilberto Boeck (PMDB), 55 anos. Um casal de noivos segue desaparecido.

O primeiro corpo a ser encontrado, às 9h30, foi o de Renato Camargo, 42 anos. Ele estava na área alagada de uma lavoura de arroz, tomada pelo Jacuí e a poucos metros da margem, em Agudo.

A notícia deixou ainda mais em alerta familiares e amigos dos desaparecidos. A incerteza ainda atravessaria a manhã. No começo da tarde, às 14h30, os corpos do vice-prefeito e da dona de casa Lori Ella Niemeier Dumke, 56 anos, foram encontrados, quase que simultaneamente.

O político estava a cerca de cem metros da ponte que ruiu, preso na vegetação que contorna o curso d'água. Ele foi resgatado por botes com voluntários e bombeiros e reconhecido pelo prefeito de Agudo, Ari Anunciação (PMDB), ainda nas margens do rio. O prefeito e amigo de Boeck chorou em diversos momentos. Perdi um amigo lamentava.

Na rodovia, próximo à ponte que ruiu, onde os bombeiros que trabalham nas buscas estão concentrados, Anunciação foi consolado por assessores e amigos. Esse é um momento de muita emoção, tristeza e dor. Perdemos um grande amigo, um grande homem e um grande homem público repetia o prefeito.

Familiares e amigos tinham esperança de que o vice-prefeito fosse encontrado com vida. Ele nadava muito bem e, nascido e criado na região, conhecia bem o Jacuí. Ele morreu nas águas que, durante toda a vida, respeitou. Seus dois filhos, Rafael e Samuel, sempre ouviram o pai falar que era preciso ter cuidado com aquelas águas.

Às 19h, o corpo do político foi liberado pelo posto do Departamento Médico Legal de Santa Cruz do Sul e levado para a Câmara de Vereadores da cidade, onde foi velado durante toda a madrugada. O enterro será esta tarde na localidade de Porto Alves.

O corpo de Lori Dumke foi localizado a oito quilômetros do local do acidente por Elanio Otávio Menezes, trabalhador de uma propriedade rural que margeia o Jacuí no lado de Restinga Seca. A filha da dona de casa, Denizi Dumke, 31 anos, e o genro dela, Nelo dos Santos, 29 anos, continuavam desaparecidos até o fim dos trabalhos de busca, no cair da noite de ontem.

O marido dela, Ildo Dumke, 58 anos, conseguiu sobreviver à queda da ponte porque se agarrou em árvores. Os bombeiros prosseguem hoje as buscas.

Informações da Rádio Gaúcha