Equipes de busca planejam primeiro mergulho sob os escombros no Jacuí

JB Online

PORTO ALEGRE - Uma nova investida para localizar os desaparecidos no acidente na ponte da RSC-287, sobre o Rio Jacuí, entre Restinga Seca e Agudo, será feita nesta tarde pelos mergulhadores do Grupamento de Busca e Salvamento da Brigada Militar.

Segundo o major Jarbas de Ávila, que comanda as buscas, como o nível do rio baixou, já é possível enxergar partes do concreto da ponte e ter acesso aos escombros sem colocar em risco a vida dos mergulhadores.

Talvez buscar corpos ali (nos escombros) não seja tão importante, pois a lógica não é ter gente embaixo dos escombros, uma vez que as pessoas estavam em cima da ponte. Vamos fazer para descartar mais um local de busca disse Ávila.

Existe a questão da segurança. Se ele (o mergulhador) é pego pela correnteza e jogado embaixo dessa chapa (de concreto), é complicado sair de lá. Não se deve fazer mergulho em grande correnteza relatou o comandante, explicando o motivo de não ter sido feito o mergulho sob os escombros anteriormente.

O volume do rio ter baixado faz com que a procura possa ser feita por terra. Cães farejadores integraram a equipe de busca. Agora, além dos mergulhadores, sete embarcações e helicópteros, os bombeiros também realizam a busca por terra, por meio aos arrozais da margem do Jacuí.

É o quarto dia de trabalho de buscas no Rio Jacuí. No total, há 10 mergulhadores participando das buscas. Outros 16 bombeiros estão a pé ou em botes. Civis também participam da operação, que não tem data para encerrar, segundo Ávila.

Vamos continuar aqui até encontrar os dois desaparecidos encerrou.

As equipes de busca que trabalham no Rio Jacuí encontraram durante esta quinta-feira três corpos de vítimas da tragédia em Agudo. Entre eles está o do vice-prefeito da cidade, Hilberto Boeck, de 55 anos. O enterro será às 14h30min desta sexta.

Informações da Rádio Gaúcha