Burocracia atrasa envio de recursos, dizem municípios do RS

Portal Terra

PORTO ALEGRE - O excesso de formalismo e a burocracia são vistas pelo presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Marcus Vinícius Vieira de Almeida, prefeito de Sentinela do Sul (RS), como os principais empecilhos para o atraso da liberação de verbas para os municípios atingidos por chuvas ou secas no país.

Para resolver essa questão, ele defende um programa estadual ou nacional de defesa civil. - Precisamos de uma lei que garanta a transferência de recursos de forma menos burocrática e de um fundo estadual de defesa civil que possa passar recursos de forma imediata - afirmou.

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, disse em entrevista oa jornal Zero Hora que os municípios não entregam todos os documentos necessários para a liberação de verbas contra prejuízos causados pela chuva, o que atrapalha a agilidade das medidas emergenciais.

- Estamos com 90 pedidos de municípios sendo analisados. Quando a situação é de emergência, o trâmite burocrático já é bastante reduzido, mas mesmo assim os municípios não mandam toda a documentação pedida - disse.