Temporais com ventos fortes alertam o Sul do país nesta quarta-feira

Portal Terra

SÃO PAULO - Temporais com fortes chuvas e rajadas de vento alertam o Rio Grande do Sul na manhã desta quarta-feira, segundo a Climatempo. Uma frente fria vinda do Uruguai deve atingir o estado com força durante o dia, com possibilidade de tempestades especialmente nas regiões Sul e Oeste.

De acordo com a agência meteorológica, o alerta se estende para Santa Catarina e Paraná, que devem registrar temporais no início da tarde devido à chegada dessa frente fria. A mesma frente fria levou os serviços meteorológicos do Uruguai e da Argentina a emitirem alertas de tempestades, com ventos de até 120 km/h, chuvas de até 100 mm e queda de granizo.

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul informou durante a madrugada que segue em alerta devido às condições meteorológicas, que podem agravar a situação de emergência nos locais mais atingidos. Em Santana do Livramento, na fronteira, a chuva forte começou durante a madrugada. O governo do Rio Grande do Sul informou nesta terça-feira que 36 cidades comunicaram problemas por causa das chuvas. Os temporais deixaram 343 pessoas desabrigadas e 808, desalojadas. Duas pessoas morreram.

Segundo a Defesa Civil, as chuvas atingiram os municípios de Garibaldi, Nova Palma, Cerro Branco, Candelária, São Pedro do Sul, Toropi, Agudo, São Martinho da Serra, Santa Maria, Segredo, Sobradinho, Fontoura Xavier, Ivorá, Dona Francisca, São João do Polesine, Restinga Seca, Júlio de Castilhos, Faxinal do Soturno, Santa Cruz do Sul, Jarí, Sinimbu, Travesseiro, Pouso Novo, Marques Souza, Soledade, Barros Cassal, Gramado Xavier, Arvorezinha, Itapuca, Espumoso, Campos Borges, Alto Alegre, Lagoão, Guaporé, Tunas e Santa Clara do Sul. Ao todo, 21 residências foram destruídas e 664 ficaram danificadas. As mortes foram registradas nas cidades de Espumoso e Candelária.

A ponte que cruza o rio Jacuí, na RSC-287, limite entre Agudo e Restinga Seca, no Rio Grande do Sul, desabou na manhã desta terça-feira. Mais de 20 pessoas estariam no local no momento da queda. Pelo menos 10 foram resgatadas com vida, segundo a Polícia Militar. O comandante-geral da Polícia Militar do Rio Grande do Sul, coronel João Carlos Trindade, afirmou nesta terça-feira que a busca pelos cerca de 15 desaparecidos durante o desabamento da ponte é dificultada pela forte correnteza do rio Jacuí. A operação foi suspensa com a chegada da noite e será retomada pela manhã.