Queda de ponte no RS: buscas podem ser dificultadas pelas chuvas

Portal Terra

PORTO ALEGRE - O major Aurivan Chiocheta, coordenador da Defesa Civil do Rio Grande do Sul, afirmou que as buscas na área onde caiu a ponte sobre o Rio Jacuí podem ser dificultadas pelas chuvas fortes que devem atingir a região nesta manhã, mas afirmou que todos os esforços serão destinados para continuar os trabalhos.

- As possíveis dificuldades serão avaliadas no momento. O que podemos dizer é que estamos unindo todos os esforços possíveis - afirmou o major. As buscas aos desaparecidos na queda da ponte que cruza o Rio Jacuí, na RSC-287 entre Agudo e Restinga Seca, no Rio Grande do Sul, serão retomadas na manhã desta quarta-feira.

As dificuldades também foram relatadas durante a noite pelo coronel João Carlos Trindade, comandante da Polícia Militar do Rio Grande do Sul. Segundo Trindade, a correnteza do rio e a água turva dificultaram o trabalho dos Bombeiros, da Brigada Militar e da Defesa Civil. Com as chuvas previstas para esta quarta, o nível do Rio Jacuí, que está acima do seu nível normal, pode subir ainda mais.

O coordenador também confirmou que o vice-prefeito de Agudo, Hilberto Boeck, está entre os desaparecidos na queda da ponte. Segundo Chiocheta, a Defesa Civil trabalha com um número próximo a 20 desaparecidos, mas não há certeza sobre este número. - As informações são desencontradas - afirma o major. Durante a noite, as buscas foram suspensas na ponte.

Um sobrevivente do desabamento, o mecânico Jocelito Kriegel Bartman, afirmou à Rádio Gaúcha que viu um ônibus de uma viação que faz viagens a Santa Maria sobre a ponte no momento do desabamento. O mecânico disse que conseguiu sobreviver por se agarrar em um tronco de árvore após cair no rio. Segundo a Rádio Gaúcha, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) irá vistoriar hoje a ponte que desabou, para apurar as causas do acidente.

A governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius, acompanhada de secretários, sobrevoou os municípios atingidos pelas fortes chuvas na região central do estado. De acordo com a assessoria de imprensa do governo, Yeda recomendou à população que evite passar por áreas de enchentes. Ela também disse que analisa como será feita a reconstrução da ponte.