Tarso: marketing distorceu relação da Polícia Federal com a imprensa

Agência Brasil

BRASÍLIA - O ministro da Justiça, Tarso Genro, classificou hoje de "desvio" o que chamou de espetacularização das operações deflagradas pela Polícia Federal (PF). Segundo ele, o trabalho da PF sofreu um "salto de profissionalismo extraordinário" durante o governo Lula.

Em entrevista coletiva em que fez um balanço das ações da PF em 2009, Tarso Genro disse que o marketing em cima das operações policiais distorceu as relações da Polícia Federal com a imprensa. - Desvio institucional rapidamente corrigido - acrescentou.

- Houve uma redução da espetacularização e não porque havia a suspeita de que o Brasil caminhava para um estado policial. Isto é devaneio literário. Mas porque havia uma exacerbação das relações de setores da Polícia Federal com a imprensa. Essa sensação de brilho adquirido gerava o apenamento precipitado das pessoas - afirmou.

Na mesma linha, o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, defendeu o fim da pirotecnia nas operações da Polícia Federal. - Queremos trocar o mérito do impacto do primeiro momento da operação pela condenação dos criminosos. Isso ainda vai levar um tempo - afirmou.