Agulha: Justiça prorroga prisão de suspeitos de perfurar menino

Portal Terra

SALVADOR - A Justiça da Bahia prorrogou por mais cinco dias a prisão temporária dos suspeitos de envolvimento no caso do menino de 2 anos que teve o corpo perfurado por agulhas. Um dos presos é o padrasto do menino, Roberto Carlos Magalhães Lopes, que confessou ter colocado as agulhas para se vingar da mãe do garoto. As informações do Jornal Nacional.

Segundo o último boletim médico, a criança se recupera bem da cirurgia que retirou quatro agulhas alojadas próximas ao coração e ao pulmão. O menino se alimenta normalmente e respira sem ajuda de aparelhos. A segunda operação, que estava programada para esta segunda-feira, foi adiada.