Deputados teriam usado verba da Câmara em campanha eleitoral

Portal Terra

BRASÍLIA - Deputados teriam utilizado recursos da verba indenizatória, destinados às suas atividades legislativas, para financiar suas campanhas eleitorais em 2008, segundo reportagem da Folha de S.Paulo. O jornal, que denunciou no domingo o uso irregular dessa verba em empresas fantasmas, afirma que os documentos "secretos" do uso da verba mostram a sua aplicação nas campanhas políticas.

Segundo o jornal, o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) teria usado R$ 6,6 mil desta verba para alugar o carro que o transportou durante a campanha. Ao jornal, Gabeira disse que a Câmara permite o aluguel de carros e que comprou um carro para uso do seu gabinete. O deputado Jader Barbalho (PMDB-PA) teria cobrado da Câmara notas fiscais de R$ 22,8 mil de uma empresa que aluga ônibus e caminhonetes para várias cidades do Estado, segundo a reportagem, que consultou um dos sócios da empresa. O gabinete de Barbalho respondeu ao jornal que o aluguel dos veículos aconteceu por que é rotina do deputado viajar ao interior paraense. Barbalho ajudou a eleger o seu filho Hélder prefeito da cidade de Ananindeua.

O presidente regional do PSDB de Minas Gerais, o deputado Paulo Abi-Ackel, teria transferido o gabinete de Brasília para a sua base eleitoral, em Governador Valadares, com serviços de R$ 8.898,52 pagos pela Câmara. O deputado respondeu ao jornal que não era candidato nas eleições e que a participação também é atividade do parlamentar.

O deputado Narcio Rodrigues (PSDB-MG), que teria sido reembolsado em R$ 2 mil por uma hospedagem na cidade de Frutal. Rodrigues argumentou que a cidade é sua base de campanha e que é difícil diferenciar as horas no mandato das horas de atividade partidária. O deputado Giovanni Queiroz (PDT-PA), segundo o jornal teria gasto mais de R$ 28 mil reais da verba com aluguéis de táxi aéreo. Queiroz não negou à à Folha que voou para participar de "de demandas eleitorais".

O reembolso de aluguel de helicóptero também foi encontrado pelo jornal nos registro do deputado Fábio Ramalho (PV-MG), nas semanas anteriores às eleições. O deputado Paulo Rocha (PT-PA) também teria gasto mais de R$ 4 mil em hospedagem por participar de uma campanha eleitoral. Ambos os deputados reconheceram que participaram das campanhas. Ramalho disse ao jornal que isso não é vedado, a menos que seja em campanha própria do deputado.