RS: laudo diz que suspeita de sedar bebês tinha morfina na bolsa

Portal Terra

PORTO ALEGRE - Laudo preliminar indicou que havia morfina em uma seringa encontrada em uma bolsa da técnica em enfermagem Vanessa Pedroso Cordeiro, 25 anos. A mulher é suspeita de dar o medicamento não prescrito a 11 bebês no Hospital Universitário da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas (RS), na região metropolitana de Porto Alegre. As crianças não correm risco de morrer. As informações são da Rádio Gaúcha.

Vanessa foi presa no dia 14 deste mês, após exames do hospital indicarem a presença de medicamentos não prescritos no sangue dos bebês. A droga injetada deixava os bebês fracos, desfalecidos e com parada respiratória. No dia da prisão, a seringa com morfina foi encontrada em uma bolsa da mulher.

O delegado Guilherme Pacífico, titular da 1ª Delegacia de Polícia de Canoas, afirmou na sexta-feira que já tem elementos suficientes para indiciar a técnica em enfermagem. Segundo o delegado, além do exame, também foi levada em consideração a escala de serviço de Vanessa - quando ela esteve de folga, nenhuma debilidade foi verificada nos recém-nascidos, e quando tiveram problemas, a maioria dos bebês estava sob a supervisão da técnica.

No dia da prisão, Vanessa teria confessado informalmente que administrou morfina às crianças e teria dito à polícia que estava perturbada por causa de problemas pessoais com religião e família, além da frustração por não ter sido médica. A técnica está presa na Penitenciária Feminina Madre Pelletier, em Porto Alegre. A Justiça negou o relaxamento da prisão solicitado pela defesa de Vanessa.