PF abre 54 inquéritos contra policiais em SP

Portal Terra

SÃO PAULO - A Polícia Federal de São Paulo, por ordem do Ministério Público Federal (MPF), abriu 54 inquéritos para apurar indícios de crimes levantados em sindicâncias e Procedimentos Administrativos Disciplinares (PAD), abertos pela PF. Foram entregues também a relação de todas as sindicâncias e PADs abertas pela corregedoria do órgão.

Anteriormente, a PF se negava a fornecer essa lista, e o MPF, após investigações próprias, constatou e denunciou casos em que a PF tratava de crimes praticados por polícias, no âmbito administrativo interno, sem instaurar o devido inquérito ou comunicar os fatos criminosos ao MPF.

De acordo com o MPF, também foram descobertas narrativas de delegados federais sobre desvios de bens. Um delegado afirma que a forma como os produtos eram apreendidos e contados pela Delegacia de Crimes Fazendários (Delefaz) poderia, em tese, facilitar "o estabelecimento de esquema de desvio de mercadorias", que pode chegar a valores mínimos em torno de R$ 1,5 milhão por ano.

Para o procurador da República Roberto Antonio Dassié Diana, coordenador do Grupo de Controle Externo da Atividade Policial do MPF-SP, a decisão de abrir os inquéritos somente agora confirma a suspeita inicial de que fatos criminosos que surgiam nas investigações internas da PF deixavam de ser apurados ou demoravam para ser investigados criminalmente.

O MPF ainda vai analisar os documentos entregues e verificar quais providências devem ser tomadas, podendo, eventualmente, responsabilizar quem não abriu inquérito policial, o que resultou na prescrição dos crimes.