No Congresso, presidente do Irã recebe apelo pela paz no Oriente Médio

Agência Brasil

BRASÍLIA - O presidente da República Islâmica do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, recebeu hoje (23), durante visita ao Congresso Nacional, apelos para buscar a paz no Oriente Médio. Ele foi recebido no Salão Nobre da Casa pelos presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), além de três senadores e de três deputados dos quase 660 parlamentares do Congresso. Sarney deu boas vindas ao iraniano e pediu a ele que lute para que a paz volte ao Oriente Médio . O presidente do Senado disse ainda esperar que o Brasil possa contribuir para a harmonia na região. "A melhor notícia que poderíamos receber seria o fim dos conflitos entre árabes e judeus". Sarney também agradeceu a visita ao Parlamento e desejou votos de que essa visita sirva para aumentar as relações comerciais e de amizades entre brasileiros e iranianos.

"Mostramos a hospitalidade brasileira e tivemos a oportunidade de dizer tudo aquilo que pensamos sobre democracia, sobre liberdade religiosa. Contrários a qualquer proliferação nuclear no mundo inteiro, o nosso desejo de que a paz volte ao Oriente Médio e, ao mesmo tempo, a nossa discordância quanto a afirmação de que não houve o Holocausto em relação ao povo judeu", disse Sarney, após a visita da comitiva iraniana.

Na mesma linha, o presidente da Câmara afirmou que a visita da delegação ao Brasil servirá para incrementar as relações econômica, comerciais e de amizade. Temer também pediu para que os iranianos trabalhem para que a paz volte a reinar no Oriente Médio. "A índole do povo brasileiro é vocacionada à paz, à democracia e à amizade entre os povos".

Perguntado pela imprensa se o Congresso não poderia ter se recusado a receber o presidente iraniano, Temer afirmou que se trata de uma visita protocolar, de uma visita de Estado. "Não há como deixar de recebê-lo. Pode haver observações críticas, mas não há como deixar de cumprir o protocolo".

Em resposta aos apelos dos parlamentares pela busca da paz, o presidente do Irã disse que para se estabelecer uma paz constante é preciso saber os motivos que levam a conflitos e que outros países cometeram erros.

Segundo Ahmadinejad, é preciso buscar a justiça para se ter a paz.. Segundo ele, os homens são criados para respeitar uns aos outros e que o ser humano e a humanidade deve ser respeitadas. Ele criticou a atuação do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) e afirmou que as ordens criadas desde a segunda guerra mundial falharam. "Ele conselho não consegue trazer segurança para o mundo. As condições atuais são piores do que anos atrás".

O presidente iraniano criticou o poder de veto que alguns países tem no conselho da ONU e defendeu a entrada do Brasil no conselho e o fim do poder de veto que alguns países têm. Segundo ele, a questão da palestina está sem solução há 60 anos e o Conselho de Segurança da ONU não conseguiu resolver ainda.

Em relação a ampliação das relações comerciais entre Brasil e Irã, ele disse que essa visita tem uma importância grande nesse sentido.

Um protesto contra a presença do presidente do Irã no Brasil foi feita pelos deputados Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) e Zenaldo Coutinho (PSDB-PA), que seguraram uma faixa com os dizeres sobre o Holocausto.