PM acha arsenal com metralhadora e fuzis em favela de SP

JB Online

BRASÍLIA - O laudo cadavérico do professor indígena Genivaldo Verá, encontrado no último dia 7, deverá ser encaminhado na segunda-feira (23) para a Superintendência da Polícia Federal de Mato Grosso do Sul pela Secretaria de Segurança Pública do Estado. Ele estava com o colega Olindo Verá, que continua desaparecido, durante um confronto com supostos seguranças contratados para retirar os índios de uma fazenda na região, no dia 31 de outubro.

Segundo a assessoria da PF, o documento será juntado ao inquérito que está sendo realizado pela Delegacia da PF em Naviraí (MS), que investiga o desparecimento dos dois professores.

Os representantes da Funai no sul de Mato Grosso do Sul e os integrantes do Ministério Público Federal (MPF) vão se reunir na segunda-feira para uma decisão sobre se continuam com as buscas ao professor Olindo Verá. Segundo a chefe da Funai na região, Margarida Nicoletti, a comunidade indígena quer que as buscas em relação ao segundo professor continuem.

A representante da Funai também disse à Agência Brasil que os representantes do órgão e do MPF devem ir à aldeia Pirajuí, no próximo dia 26, para uma reunião com os professores indígenas que estarão participam de um encontro. Vamos dialogar com a comunidade a respeito de continuarmos a busca e também sobre o conflito onde dois índios teriam desaparecidos , disse.

A diretora da Funai informou, ainda, que na segunda-feira serão retomados os estudos antropológicos na região do cone sul do estado para verificar as áreas tradicionais que foram ocupadas pelos índios no passado. Segundo ela, os estudos devem levar de quatro a seis meses para serem concluídos e são importantes para definir ass áreas da região que pertenciam aos povos indígenas.