Entidades investigadas pela PF patrocinam congresso de delegados

Portal Terra

SÃO PAULO - Três dos seis patrocinadores do 4º Congresso Nacional de Delegados da Polícia Federal, realizado em Fortaleza, estão relacionados com investigações realizadas pela própria PF, segundo informações do jornal Folha de S.Paulo. Os órgãos seriam a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a Caixa Econômica Federal e a Petrobras.

A CBF, que teria investido R$ 300 mil com patrocínio, teve seu presidente Ricardo Teixeira investigado por crimes como evasão de divisas e lavagem de dinheiro desde 2001. A Polícia Federal pediu o arquivamento desses inquéritos em 2005 e o Ministério Público Federal recomendou a reabertura, mas não foi atendido, segundo o jornal.

A Petrobras, que forneceu R$ 30 mil da cota de patrocínio, foi investigada pela Polícia Federal na Operação Águas Profundas, responsável pela investigação de fraudes a licitações. No blog Fatos e Dados, a estatal afirmou que patrocina eventos de diversas categorias profissionais, com foco na exposição da marca perante seus públicos. A Petrobras também afirma que não foi investigada pela operação e sim, colaborou com as investigações, o que não configura conflito de interesse.

A Caixa, que teria patrocinado o evento também com R$ 30 mil, seria alvo de inquérito relacionado à renovação de um contrato para gerenciar o sistema de loterias. O banco informou ao jornal que a proposta de patrocínio foi aprovada pelo objetivo de divulgar a imagem institucional.

De acordo com o jornal, a previsão de arrecadação com patrocínios é de R$ 660 mil, com estampas no site da associação, em panfletos e camisetas distribuídos no evento, além de um painel no local. O congresso foi realizado entre terça e sexta-feira, pela primeira vez nos últimos cinco anos. Os organizadores do congresso, procurados pelo jornal, argumentaram não haver qualquer conflito de interesses nos patrocínios.