SP: prefeito gravado ao receber R$ 4 mil se afasta por 2 meses

Portal Terra

SÃO PAULO - O prefeito de Monte Castelo (SP), Odair Síllis (PMDB), se afastou na quinta-feira do cargo pelo período de dois meses. O político, que foi gravado ao receber R$ 4 mil de um construtor, apresentou um atestado médico com um laudo de um psicólogo para pedir o afastamento por motivos de saúde. As informações são da Câmara Municipal de Vereadores, que analisa a documentação, mas não deu mais detalhes sobre o problema de saúde do peemedebista.

Em entrevista ao Jornal Nacional, o advogado Edmar Gomes, que defende o prefeito, afirmou ontem que o dinheiro era pagamento por uma dívida. O construtor diz que era propina.

O construtor, responsável pela denúncia, afirmou que após começar a obra de uma creche na cidade, orçada em R$ 1 milhão, começou a ser pressionado para começar a pagar para o prefeito. Ele diz ainda que por ter que reservar dinheiro para a propina a qualidade da obra seria comprometida.

Após uma licitação, a obra foi financiada pelo governo federal pelo sistema do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em que as prefeituras administram os recursos e os repassam às construtoras.

A câmera escondida mostra o prefeito negociando com o empreiteiro. No diálogo, Síllis pede a quantia de R$ 8 mil, mas acaba recebendo apenas metade do valor. Ao se despedir, ele ainda exige o recebimento de mais dinheiro no próximo encontro. O prefeito pergunta durante todo o vídeo se estaria sendo vigiado.

Na quinta, representantes do Conselho Regional de Engenharia de São Paulo fizeram uma vistoria na obra da creche.