Beltrame diz que Rio de Janeiro não é violento

JB Online

BRASÍLIA - Durante audiência pública na Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, o secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, minimizou a última onda de violência deflagrada no Estado com a morte de diversas pessoas e a derrubada de um helicóptero da Polícia Militar por traficantes. O secretário chegou a dizer que 'o Rio de Janeiro não é violento, se compararmos o número da população total do Estado com o número de pessoas envolvidas com crimes'.

- É um número muito pequeno de pessoas para causar um pânico em 16 milhões de pessoas. O Rio de Janeiro não é violento, o Rio de Janeiro tem núcleos de violência. Nós temos índices de criminalidade em determinadas áreas do Rio de Janeiro, europeus. O Rio não pode receber um programa do Oiapoque ao Chuí - disse.

O secretário defendeu que a situação no Rio seja analisada de forma singular já que o Estado enfrenta problemas de segurança completamente distintos dos encarados pelas outras unidades da Federação.

Mesmo assim, Beltrame afirmou que, com o apoio do governo federal, a ideia agora é reagir à onda de violência que se fortaleceu no Rio recentemente e atuar como os americanos procederam após a queda das torres gêmeas.

- Entrar na luta como os americanos fizeram quando tiveram as torres gêmeas derrubadas. Isso que eu pretendi, é isso que eu pretendo e é isso que o governo federal nos acenou e atendeu, graças a Deus - afirmou.

José Mariano Beltrame disse também que a capital fluminense tem particularidades que requerem um tratamento diferenciado no que se refere à definição de ações na área.

- O Rio de Janeiro é diferente porque nós temos facções criminosas, com pessoas fortemente armadas, armas e munições de uso restrito das Forças Armadas, usadas covardemente - ressaltou Beltrame, ao lembrar que, muitas vezes, morros e favelas são controladas por traficantes.

Com informações da Agência Brasil e Portal Terra