Gurgel pede cópia de decisão que mantém senador cassado no cargo

Portal Terra

BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou nesta quarta-feira que pediu à Mesa Diretora do Senado cópia da decisão que garante provisoriamente a permanência do senador Expedito Júnior (PSDB-RO) no cargo. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Supremo Tribunal Federal (STF) já haviam determinado a saída imediata do parlamentar do posto por conta da cassação de seu mandato. A Mesa do Senado, no entanto, ainda está reticente sobre cumprir a determinação judicial.

O senador foi cassado após denúncia de que teria cometido abuso de poder econômico e compra de votos durante a campanha nas eleições 2006. De acordo com a acusação, o então candidato, juntamente com seus aliados, teria depositado R$ 100 na conta de vigilantes da empresa Rocha Segurança e Vigilância, que pertence a Irineu Gonçalves Ferreira, irmão de Expedito Júnior.

De acordo com o chefe da Procuradoria Geral da República, em tese, é possível que o Senado seja alvo de uma reclamação pela demora na retirada do senador do cargo no Parlamento.

- Já pedi cópia da decisão do Senado. Assim que receber, examinarei providências a adotar. Em tese é cabível uma reclamação tendo em vista o descumprimento da decisão judicial - afirmou Gurgel.

- O interesse do Ministério Público sempre será que as decisões judiciais sejam cumpridas - disse. Apesar de não ter determinado um prazo máximo para um envio das informações pelo Senado, Roberto Gurgel disse acreditar que os argumentos que mantêm Expedito Júnior como senador sejam enviados imediatamente.