Moradores lamentam perdas causadas por incêndio na favela Paraisópolis

Portal Terra

SÃO PAULO - ''Fiquei só com as roupas do corpo'', diz a dona de casa Maria Cirleide dos Santos Carvalho, 29 anos, moradora da favela de Paraisópolis. Um incêndio, de causas ainda não definidas, destruiu entre 30 e 50 barracos na favela localizada na zona sul de São Paulo.

Maria Cirleide conta que estava na casa de uma prima, na vizinhança, quando escutou "uma gritaria". Ao saber o que estava acontecendo, ela correu até sua casa, mas já era tarde. Não conseguiu salvar nenhum pertence. Moradora da localidade há dois anos e meio, conta que ela e o marido têm um filho pequeno e estão desempregados.

O jardineiro Hermenides Jesus Santos contou que estava dormindo quando a mulher gritou avisando sobre o fogo. Ele perdeu a televisão, um aparelho de som, geladeira e fogão, mas descartou a possibilidade de voltar para sua terra, a Bahia. - Vou seguir por aqui, que tem mais serviço - disse.

O pedreiro Francisco Geraldo da Silva não conseguia conter as lágrimas ao lembrar a perda de todos os seus pertences. Ele, que trabalha em Cubatão, na Baixada Santista, e passa os finais de semana em Paraisópolis, disse que terá de ficar na casa de parentes até resolver o problema.

- Estes barracos, para pegar, fogo, é igual a gasolina - disse o pedreiro Irinaldo de Carvalho, 50 anos, que também diz ter ficado sem nada - ele perdeu o barraco com o que tinha dentro: fogão, colchão e todas as suas roupas.