Toffoli assume vaga no STF em cerimônia com pane elétrica

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - Numa cerimônia formal que durou menos de 15 minutos e que contou com a presença do presidente Luiz Inácio da Silva, o até então advogado-geral da União José Antonio Dias Toffoli tomou posse, na tarde de sexta-feira, do cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal, na vaga aberta com a morte de Carlos Alberto Menezes Direito, em setembro último. Aos 41 anos, Toffoli, nascido em Maríília (SP), é o mais jovem integrante da Corte desde a promulgação da Constituição de 1988, e o oitavo de seus componentes nomeado pelo presidente Lula no curso de seus dois mandatos.

Cerca de mil pessoas de acordo com o cerimonial assistiram à solenidade, a maioria fora do plenário, em telões distribuídos pelo prédio principal do tribunal. Além dos presidentes do STF, ministro Gilmar Mendes, e do chefe do Executivo, compuseram a mesa da sessão os presidentes do Senado, José Sarney, e da Câmara, Michel Temer, e o procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Estiveram também presentes à cerimônia o vice-presidente da República, José Alencar; os ministros da Justiça, Tarso Genro, e da Casa Civil, Dilma Rousseff; os governadores José Serra, Jacques Wagner e Sérgio Cabral; os presidentes dos tribunais superiores, parlamentares, desembargadores e advogados que atuam nos tribunais superiores. Durante a cerimônia, o susto ficou por conta de uma pane no sistema elétrico do STF, ocasionada pelo excesso de carga, que provocou a ligação dos geradores do tribunal.