Não há indícios de vazamento da prova do Enade, diz MPF

Portal Terra

BRASÍLIA - O Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF/DF) divulgou nesta sexta-feira que, neste momento, não são necessárias medidas para suspender, cancelar ou adiar a data do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), marcado para 8 de novembro. Isso porque não há, até agora, comprovação de vazamento do conteúdo das provas.

O MPF/DF é responsável pelas investigações que apuram possíveis falhas na segurança do exame, após a Polícia Rodoviária Federal ter encontrado provas sendo transportadas sem lacre de segurança numa rodovia de Três Rios (RJ). O procedimento foi encaminhado pela Procuradoria da República em Petrópolis, que acompanhou o caso inicialmente.

Segundo informações da assessoria de comunicação da Procuradoria da República no Distrito Federal, ontem, o procurador da República Carlos Henrique Martins Lima recebeu explicações do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, sobre o episódio. Segundo apurado até agora, não há indícios de vazamento do conteúdo das provas.

- O Ministério da Educação (MEC) e o Ministério Público Federal concordaram que não há motivos para suspender ou cancelar o exame neste momento - explica Lima.

No entanto, o procurador ressalta que é preciso melhorar o sistema de segurança das provas realizadas pelo MEC. Os recentes problemas envolvendo o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Enade demonstram a fragilidade do sistema.