Oposição questionará no TSE viagem de Lula a obras no NE

Agência Brasil

BRASÍLIA - A oposição pretende questionar os custos da viagem realizada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para acompanhar o andamento das obras de revitalização e transposição do Rio São Francisco, na semana passada, nos Estados de Minas Gerais, Bahia e Pernambuco.

O vice-líder do PSDB, senador Alvaro Dias (PR), afirmou hoje que os partido oposicionistas também devem consultar a Justiça Eleitoral sobre a possibilidade de ter havido antecipação de campanha eleitoral.

Para o tucano, a presença de dois pré-candidatos - a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o deputado federal Ciro Gomes (PSB-SP) - na caravana presidencial são indícios de que a viagem teve fins políticos. "É preciso que aposição recorra ao Tribunal Superior Eleitoral. A viagem é uma afronta à legislação eleitoral", afirmou.

"Há um abuso que precisa ser reprimido pela autoridade judicial e, como o TSE e a Justiça Eleitoral só agem se provocados, cabe à oposição interpor representação, já que é evidente que houve campanha eleitoral e não um ato administrativo, que seria perfeitamente admitido", discursou o senador tucano da tribuna do Senado.

Alvaro Dias acrescentou que a oposição deve pedir à Casa Civil informações sobre o custo da viagem do presidente Lula ao Vale do São Francisco. "Cabe à oposição questionar a Casa Civil sobre os gastos. Quanto o governo gastou para essa caravana ao Vale do São Francisco e, evidentemente, cabe uma medida de natureza judicial para que a impunidade não prevaleça", disse.