MP-DF encaminha caso de Agaciel para Polícia Federal

Marina Mello, Portal Terra

BRASÍLIA - O Ministério Público no Distrito Federal, que vinha investigando uma nomeação supostamente feita pelo ex-diretor do Senado Agaciel Maia via ato secreto, decidiu nesta segunda-feira repassar o caso à Polícia Federal.

O MP-DF investigava uma nomeação que teria sido feita por Agaciel para que a servidora Lia Raquel Vaz de Souza fosse lotada no gabinete do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) por meio de ato secreto, sem que o parlamentar soubesse da nomeação.

A procuradora responsável pelo caso no MP, Luciana Marinho, repassou o caso à PF, já que a corporação vem conduzindo outras investigações sobre Agaciel. A Polícia Federal, no entanto, diz ainda não ter recebido nenhum pedido de investigação deste caso em específico.

O ex-diretor geral responde a um processo administrativo em consequência dos desdobramentos dos atos secretos, decisões do Senado que não haviam sido publicadas em boletins administrativos de pessoal. A maioria deles, relativos a decisões tomadas entre 1º de janeiro de 1995 e 12 de junho de 2009, ocultava benefícios e contratações de parentes.

Foi após o escândalo com os atos secretos que o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), passou a sofrer maiores pressões para deixar o cargo. Agaciel seria o principal responsável pela não publicação das decisões.