Lula nega caráter eleitoral de viagem

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou sexta-feira o caráter eleitoral de sua viagem ao Nordeste para visitar as obras de transposição do rio São Francisco. Para a oposição, a viagem é eleitoral e antecipa a pré-campanha em favor da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff que acompanha Lula na viagem.

Transposição não rima com eleição. É um sonho antigo desse país. Reconhece a história, reconhece a covardia de alguns afirmou o presidente em entrevista após após encontro com trabalhadores em Cabrobó (PE). Quando eu era sindicalista, qualquer ato era uma assembleia. Qual a diferença de fazer um ato público ou um comício? Eu, sinceramente, acho que não cometi nenhum ato falho. Se conseguir juntar mais de uma pessoa, se tiver duas, é ato público. Se tiver três é comício, e 50 é assembleia daquelas grandes que eu fazia lá em São Bernardo.

A oposição pretende protocolar na próxima terça-feira um pedido de informações à Casa Civil para ter acesso aos gastos da viagem do presidente Lula ao Nordeste. Já na segunda-feira, lideranças do DEM e do PSDB devem discutir se acionam a Justiça Eleitoral acusando o presidente de uso indevido da máquina pública e de antecipar a campanha eleitoral.

Pobre da oposição que não tem o que fazer ironizou Lula. A ociosidade é uma das desgraças da humanidade. Em vez de ficar parado, eu faço. Deveriam olhar o que estão fazendo e lembrar do tempo em que governaram. Não deve fazer discussão num nível menor. Nós já fomos oposição. Com uma diferença, nós estamos fazendo o que eles não fizeram.

Lula recomendou ainda que seus adversários visitem mais obras e trabalhem mais se quiserem ganhar eleição.

Não pode levar em conta que projeto eleitoral atrapalha você para administrar. Acho o seguinte: quem quiser ganhar eleição, que trabalhe. Como presidente, não posso ficar preocupado com coisa menor cutucou Lula.

No último dia da viagem para vistoria às obras de integração e revitalização do Rio São Francisco, o presidente afirmou, também, que as pessoas irão reconhecer a importância da obra apenas quando ela estiver pronta e a população sentir o efeito da mudança.

Não estamos tirando água de ninguém, não era justo a gente deixar essa quantidade imensa de água ir para o mar e não tirar um pouquinho dela para levar ao semiárido para 12 milhões de nordestinos que vivem em uma situação extremamente difícil disse Lula.

Em discurso no canteiro de obras da transposição do Rio São Francisco, Dilma Rousseff também rasgou elogios ao projeto e disse que ele garantirá emprego, moradia e água com qualidade para as famílias do semiárido nordestino.

Esta é uma das maiores obras já feitas no mundo. Beneficiará 12 milhões de pessoas, o que significa vida e que nossos filhos não serão vítimas de doenças defendeu a ministra.

Dilma, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva num palanque montado durante a visita, chegou a parafrasear o líder sertanejo Antonio Conselheiro ao defender o principal programa de infraestrutura do governo no Nordeste e fez um discurso voltado para a população feminina.

Eu queria dar um abraço em todas as mulheres que estão aqui. Em seguida, ressaltou que as águas que chegarão com os canais que estão sendo construídos, serão de boa qualidade e assegurou que, ao final das obras, haverá oferta de trabalho na região. Não vai faltar trabalho para nenhum de vocês quando esta obra acabar. Daqui para frente, o Brasil terá desenvolvimento com trabalho para o seu povo e felicidade para as famílias. Vamos ter oportunidade de criar nossos filhos num futuro de esperança.

Dilma e o também pré-candidato à Presidência, Ciro Gomes (PSB-SP) trocaram gentilezas em seus discursos. Ciro foi classificado por Dilma como um grande companheiro de todas as horas, sobretudo das horas mais difíceis , e uma pessoa em quem a gente pode confiar . Ciro retribuiu o elogio e, após definir Dilma como uma forte guerreira , afirmou:

O Brasil ainda vai falar muito dela. O Brasil precisa conhecer esta mulher.

Animação

Lula também promoveu um sorteio de casas populares na localidade de Vila Rural Junco, no município de Cabrobó (PE), e se transformou num dos destaques da cerimônia ao agir como um verdadeiro animador do evento. Acompanhado de governadores, ministros e parlamentares, o presidente fez o sorteio da primeira casa do programa de moradia elaborado pelo governo federal para abrigar as famílias que foram retiradas da área que deve ser alagada pelas águas do rio. Um dos moradores sorteados pelo presidente usou o microfone para chamar Lula de herói brasileiro .

Depois de sortear a primeira casa, Lula chamou Ciro para sortear a segunda casa. O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), fez o sorteio da terceira casa e o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Franklin Martins, da quarta. Ao todo, Lula sorteou mais de 25 casas, para delírio das famílias que se aglomeraram para ver a comitiva do presidente passar. Depois de sortear a 12ª casa, Lula pediu licença para sortear a próxima.

Eu peço licença a vocês porque a 13 eu vou sortear. Porque esse número tem muito a ver comigo brincou, em referência ao número do PT nas urnas. O governo deve construir, na área, 18 vilas para assentar um total de 703 famílias.

De volta à Brasília, Dilma busca apoio do PP

Depois de viajar três dias pelo Nordeste, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, volta suas atenções para Brasília e para as negociações com os partidos tendo como objetivo construir uma ampla aliança que assegure apoio à sua candidatura à Presidência da República. Desta vez, Dilma agendou para dia 27 jantar com a cúpula do PP.

A ministra já teve conversas semelhantes com representantes de PMDB, PDT, PCdoB, PR e PRB. Com exigências e graus de entusiasmo diferentes, a maioria das legendas já sinalizou que tende a aderir à candidatura da petista.

O jantar com o PP ocorrerá na casa do líder do partido na Câmara, deputado Mário Negromonte (BA), para quem a maioria dos integrantes da legenda defende uma aliança com o PT e a ministra no âmbito nacional.

Não vamos fechar questão. Só fecharíamos questão se tivéssemos a vice, mas uma coisa eu digo: a grande maioria do partido deve seguir com Dilma garantiu Negromonte.

Participarão do encontro com a ministra a bancada de deputados federais do PP, o presidente da sigla, senador Francisco Dornelles (RJ), e o ministro das Cidades, Márcio Fortes única pasta administrada pela sigla no governo Lula.

A vaga de vice na chapa encabeçada por Dilma deve caber ao PMDB, o que retira o PP desta disputa. O PP antecipa, contudo, que em pelo menos três estados o acordo com o PT não deve ser possível. O líder da legenda cita como exemplo Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O PP mineiro apoiará o candidato do governador Aécio neves (PSDB), enquanto o diretório gaúcho da legenda também se aliará à oposição. Em Santa Catarina, PP e PT devem ter candidaturas próprias.

Dilma vem acelerando os diálogos com partidos aliados nas últimas semanas desde que foi liberada pelos médicos do tratamento contra um câncer. Um dos frutos do esforço do PT para fortalecer a campanha da ministra deve ser colhido na semana que vem, quando PT e PMDB deverão fechar um pré-acordo para a eleição de 2010 que já incluí a vice-presidência

Os petistas também estão otimistas com a possibilidade de acertarem alianças com o PCdoB, um aliado histórico do partido, e com o PRB, sigla do vice-presidente da República, José Alencar. Apostam também em um entendimento com o PR e o PDT, apesar de parte dos pedetistas simpatizar com a pré-candidatura à Presidência do deputado Ciro Gomes (PSB). (Com agências)