Presos 17 suspeitos de comandar tráfico em Vila Velha, no ES

Portal Terra

ESPÍRITO SANTO - Uma operação conjunta das polícias Civil, Militar e Federal, resultou na prisão de 17 pessoas, na manhã desta quinta-feira, em Vila Velha, região metropolitana de Vitória. Todas são acusadas de fazer parte de uma quadrilha que comandava o tráfico de drogas em bairros do município. Entre os detidos, estão dois menores e o homem acusado de liderar o grupo, um traficante conhecido apenas como "Macaco".

A Operação Primata - que recebeu este nome em referência ao chefe da quadrilha - contou com cerca de 150 policiais e tinha como objetivo cumprir 15 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão. Além das 17 pessoas presas, foram apreendidos R$ 22 mil em dinheiro, dois carros, três motocicletas, seis armas, e uma quantidade ainda não informada de maconha, cocaína e crack.

O líder do bando, que é foragido da Justiça, foi preso em outro município da Grande Vitória. As investigações começaram há oito meses.

De acordo com o delegado da Polícia Federal Cassius Baldelli, o grupo seria responsável pelo abastecimento de várias bocas de fumo e, também, homicídios praticados na região. Além de violenta, a quadrilha tinha vários níveis hierárquicos. "Nós conseguimos prender inclusive o líder desse grupo. Além de tráfico de drogas, havia muitos crimes de homicídio. Eles costumavam matar os rivais", afirmou Baldelli.

Segundo a Polícia Federal, a organização recorria se utilizavam do trabalho de jovens e adolescentes, que passavam por um rigoroso processo de seleção. Segundo o delegado, havia até entrevistas e período de experiência.

- Eles tinham gerentes e soldados, e recrutavam as pessoas para trabalharem na revenda de drogas nessa região. Era um processo em que os novatos eram observados pelos mentores da quadrilha - afirmou.

O comandante da Rotam, coronel Renato Luiz, comemorou a ação e o resultado do trabalho em grupo.

- Quando há união, a gente trabalha com mais eficiência. O impacto que isso traz na criminalidade também é maior - afirmou.