Lula ironiza preocupação de Serra

Jornal do Brasil

BRASÍLIA - A viagem da comitiva do governo pelas obras de transposição do Rio São Francisco foi esquentada ontem pelo clima de disputa política que tomou conta das declarações de governistas e oposicionistas. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ironizou a preocupação do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), com o Nordeste. Ao comentar a visita de Lula às obras de transposição do rio São Francisco, Serra havia criticado a falta de investimentos em irrigação, mas para Lula a declaração do governador tucano foi estimulada pela proximidade das eleições.

Eu não sabia que o Serra tinha preocupação com o Nordeste, mas se tem perto das eleições, é bom sinal ironizou Lula em entrevista para rádios locais.

Serra havia dito que as obras de transposição não pensavam na irrigação nas áreas vizinhas, que estão à beirada do rio. Lula rebateu o tucano afirmadno que o problema verificado por Serra é resultado de séculos de descaso .

Dizer que as comunidades ribeirinhas não estão sendo tratadas... Criamos um programa de água para todos que vai levar água. Não pode jogar nas costas do São Francisco a responsabilidade de séculos de descaso disse o presidente. O que é triste é que vai passando o tempo, às pessoas não falam, ficam mudas. E quando vai chegando perto das eleições, começam a preparar o discurso para a campanha. O Serra que fique esperto para ver o que vamos inaugurar de irrigação no Nordeste nesses próximos meses, projetos parados por anos e não por nossa culpa. Talvez convide ele para participar da inauguração de alguns projetos para ele entender o que acontece aqui no Nordeste.

Em São Paulo, Serra tentou amenizar a disputa e disse ontem que não fez críticas ao projeto de transposição.

Não fiz nenhuma crítica. Disse que pararam as obras de irrigação. Se ajudar a ter um metro a mais de irrigação, vou ficar feliz. Se o que disse aumentar a irrigação, vou ficar contentíssimo contemporizou.

O PSDB, no entanto, já anunciou que vai protocolar ainda nesta semana na presidência da República pedido de informações à Casa Civil para ter acesso aos gastos da viagem do presidente Lula ao Nordeste do país. Irritados com o que chamam de propaganda política supostamente realizada pelo presidente durante a viagem, em favor de candidatos da base governista à sucessão presidencial, a oposição acusa Lula de usar dinheiro público para dar visibilidade aos seus aliados. A oposição não descarta, ainda, ingressar com uma ação na Justiça Eleitoral contra Lula e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, por propaganda eleitoral antecipada mas pretende primeiro analisar os custos da viagem.

A ministra é quem vai ter que esclarecer, ela é a principal favorecida dessa história. É campanha pura. Essa (transposição) é uma obra elementar. Eu mesmo já percorri essa região em uma hora e meia criticou o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (SP).

O líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), também criticou a visita de Lula, principalmente pelo fato dela ter sido acompanhada por Dilma e pelo deputado federal Ciro Gomes (PSB)

Ele (Lula) está, de forma escancarada, deflagrando campanha e nominando adversário. E faz isso em périplo pago com recursos público, tentando estabelecer essa polarização. Está praticando o jogo de esperteza política a custa de dinheiro público afirmou. O senador também acusa Lula de fazer publicidade de uma obra que ainda está dando os seus primeiros passos antes de ser concluída. O orçamento para a transposição é de R$ 1,7 bilhões em 2009. Este ano, só gastaram pouco mais de R$ 62 milhões. O presidente faz estardalhaço em cima de um blefe, só usou 3,7% do planejado. Está lá com a trupe fazendo estardalhaço político às custas do dinheiro público.

Já Lula voltou a defender ontem que a base de apoio ao governo se una em torno da candidatura de Dilma.

Gostaríamos que tivesse só um candidato (da base). Uma eleição plebiscitária. Nós contra eles. Pão, pão, queijo queijo. Se isso não for possível, paciência disse o presidente em entrevista após visitar canteiros de obras da transposição em Pernambuco. Questionado sobre o motivo de levar Ciro para para sua viagem, Lula respondeu que isso era um reconhecimento ao trabalho dele em defesa da transposição. Lula ressaltou ainda a proximidade entre Ciro e Dilma. Vocês não perceberam que o Ciro e Dilma estão sempre juntos? Tem seis meses para maturar. Muita coisa vai acontecer. Aí vamos anunciar ó candidato.

Lula também voltou a criticar a oposição na entrevista.

Se dependesse da oposição, não faria (obras). A oposição quer que o país pare para ela ter razão. E a situação quer trabalhar mais para não dar razão. Eles tiveram a chance e não fizeram afirmou Lula, que também estendeu as críticas aos opositores do projeto de transposição como um todo. Ser contra lá na Tijuca, na Avenida Paulista, é fácil. Eu sou contra, depois abro a geladeira e abro uma água Perrier (marca de água francesa) geladinha. Agora, vem pra carregar uma lata de água na cabeça com caramujo e tudo para depois tirar com uma canequinha uma água barrenta para beber. (Com agências)