DF, Rio e SP são os melhores em controle de armas, diz pesquisa

Portal Terra

BRASÍLIA - Uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira revela que o Distrito Federal é a unidade da Federação que faz o melhor controle de armas do país. O estudo traz um ranking provisório do controle de armas de uma maneira geral - ou seja, sobre como cada estado está tratando do recolhimento, da apreensão, da entrega, das vendas e do armazenamento de suas armas - e foi feito com base em dados repassados pelas próprias secretarias estaduais.

O balanço parcial foi divulgado nesta quinta-feira pela Subcomissão de Armas e Munições da Câmara dos Deputados, em parceria com a organização não governamental (ONG) Viva Rio e a Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça.

De acordo com o levantamento, Rio de Janeiro e São Paulo aparecem em segundo e terceiro lugares, respectivamente. No ranking, o DF obteve 100% na avaliação da "qualidade das informações" sobre armas, seguido pelo Rio de Janeiro (95,5%), São Paulo (93,4%) e Pernambuco (91,6%).

Os piores em termos de controle, segundo o estudo, são Amazonas (10,3%), Santa Catarina (12,2%) e Paraíba (19,5%). Todos estes sequer conseguiram repassar informações suficientes à pesquisa.

Já Amapá, Sergipe e Roraima aparecem como estados que não repassaram nenhuma informação sobre sua política de controle de armas.

O deputado Raul Jungmann (PPS-PE), que preside a subcomissão de armas e munições, explica que o objetivo de se fazer este ranking é estimular outros estados que não apresentam controle eficaz de armas a participar e pensar em políticas que alterem o quadro.

- Se Brasília pode fazer bem, por que o Piauí não pode? Essa comparação importa porque somos o mesmo país, temos o mesmo Ministério da Justiça. Por que alguns estados fizeram seu dever de casa e outros não? - questionou.

De acordo com Antônio Rangel, da ONG Viva Rio, a expectativa é de que, a partir da divulgação parcial deste levantamento, estados que não participam se estimulem a enviar informações. - O ranking é baseado nas informações enviadas pelos estados. Por exemplo, Santa Catarina praticamente não mandou. Este ranking é provisório, mas, mesmo assim, decidimos divulgar para pressionar os estados que não mandaram - disse.

Os responsáveis pelo estudo aprovaram o resultado obtido em estados que melhoraram e muito sua metodologia de controle de armas já que, segundo eles, no passado, o país já foi o campeão em número de mortes por arma de fogo, superando até países que estavam em conflito civil.

Apesar dos aspectos positivos da pesquisa, em especial para DF, RJ e SP, Rangel explica que o país ainda está muito longe do padrão ideal.

- A situação no Rio não é boa, mas melhorou - disse. - Ainda somos um país que controla muito mal o seu armamento, outros países ficam estarrecidos com a quantidade de armas disponíveis para o crime organizado. O crime está super-abastecido de armas no Brasil - afirmou.