Cutrale: MST causou R$ 1,2 milhão de prejuízo em sua fazenda

Agência Brasil

SÃO PAULO - A empresa Cutrale informou hoje (14) que os prejuízos da ocupação da sua fazenda em Borebi (SP) totalizaram R$ 1,2 milhão. Segundo o diretor da empresa, Carlos Otero, o valor é referente aos equipamentos danificados, aos defensivos agrícolas extraviados e à parte da lavoura de laranja derrubada por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

A fazenda da Cutrale foi tomada pelos sem-terra no dia 27 de setembro e desocupada na quarta-feira passada (7), pacificamente, após determinação da Justiça.

O MST negou ter destruído os equipamentos da propriedade ou roubado produtos durante a ocupação. O movimento alegou ter destruído parte do laranjal para protestar contra a suposta grilagem de terras públicas. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) afirmou que as terras da Cutrale, em Borebi, pertencem à União.

Otero não quis comentar o posicionamento do Incra. De acordo com ele, "todas as vezes que o Incra discutiu isso na Justiça, a Cutrale provou que é dona das terras".